Entrevista à actriz pornográfica Susana Melo

Entrevista à actriz pornográfica Susana Melo

O teu gosto pela pornografia como é que surgiu? E a tua vontade de arriscar numa audição e carreira porno?

O meu namorado estava a ver um programa na RTP 2, com a actriz Érica Fontes, em que ela falava na produtora que tinha iniciado a sua carreira.” hotgold” e o meu namorado por brincadeira e por necessidade para uma vida mais confortável, apesar de na altura termos os dois trabalho mas ganhávamos pouco. Ele perguntou se estaria interessada em mandar a candidatura, mas eu nunca tinha visto filmes porno, nem nunca tinha pensado em ser actriz. Mas como pensava que não tinha qualquer hipótese de entrar por ser uma miúda banal. Ele mandou a candidatura sem pensarmos que seríamos chamados.

Desde que começaste até agora, tens tido alguma inspiração?

Eu só entrei porque adoro ter relações sexuais com bastante claridade, e que seja observada por outros enquanto o faço. E outro factor muito importante, eu só continuei no porno por não ter orgasmos, não sentir prazer sexual, caso contrário na minha cabeça pensaria que estava a trair o meu namorado. Isto é tudo encenado, preparado com reuniões, todas as posições são planeadas. Isto é como uma novela há cortes, acção, intervalo para bebermos. Fora de cena as actrizes não ajudam os actores para ter uma erecção. O porno não tem nada a ver com o que as pessoas de fora pensam. Há quem vá iniciar e faz só uma cena e que nunca mais volta.

Fizeste um filme porno com um amigo por brincadeira, como é que isso aconteceu?

Foi com o meu namorados estamos juntos há 3 anos. Pensámos muito já que iria mudar para sempre as nossas vidas, íamos ver que há pessoas que me apoiam outras que iriam desaparecer da minha vida, ficando a saber que afinal não gostavam assim tanto de mim, e outras pessoas que se aproximam por interesses. Quando entrei lá na produção já não via como uma brincadeira mas um desafio em que tinha de dar o meu melhor, porque seria um filme visto por milhares, e tinha de dar o meu melhor, mas o problema é que eu nunca tinha visto pornografia, não sabia comportar-me perante à câmara, como as outras actrizes já com experiência. E antes de começarmos foi-me dito que o fizesse como estivesse em casa( mas são coisas totalmente diferentes) e não gostei do resultado. Mas saiu como eles queriam tipo uma cena caseira.

Exibires-te perante os técnicos e outros homens foi fácil?

Bastante fácil já que adoro ser observada. E como éramos novidade na indústria, houve muitos trabalhadores da indústria que vieram ver.

Quando começaste fazias ideia que um dia ias conseguir internacionalizar-te? Como é que se deu esse salto para as realizadoras mais conceituadas?

Não pensava nisso, pensava que em Portugal havia futuro mas só havia 3 produções por ano, ou seja continuamos a trabalhar nos nossos trabalhos e quando éramos chamados para o porno, punhamos férias. Até ao dia em que me conheceram e eu nunca mais apareci no trabalho. Eu sou muito discreta, não gosto de chamar há atenção e simples, gostava de viver no anonimato. Mas isso tudo mudou e já me habituei. Como o meu namorado também tinha deixado o trabalho, começámos a procurar indústrias fora de Portugal, mandamos vários e-mail’s e a primeira resposta foi da GGG na Alemanha.

O que é que te motivou a fazer cenas mais agressivas para o spankbang?

Eu se faço porno, não podia ficar pelo banal, se estou em algo que me expõe a minha imagem para sempre tenho de ir ao limite de mim, fazendo tudo o que o meu corpo suportar. Não podemos fazer sempre o mesmo torna-se aborrecido.

Na preparação para esta entrevista observei que gostas de praticar a garganta funda. Dá-te prazer? Como é que aprendeste? Que cuidados pensas que se deve ter?

Dá -me um certo prazer, tento com todos os actores, mas as vezes é doloroso (quando é maior). Aprendi numa entrevista a uma actriz em que ela dizia que o segredo é prender a respiração e quando vier um vómito engolir (como se fossemos engolir comida). Os cuidados são simples: o uso do preservativo, se forem um casal podem optar sem o preservativo mas convém uma boa higiene na área íntima. E a mulher se não gostar ou não conseguir fazer garganta funda não se tem de intimidar por isso há outras coisas igualmente interessantes que pode fazer.

Quais são as cenas que mais gozo te dão fazer?

Lésbicos e DP.

Os homens gostam de ver filmes/vídeos de lésbicas. Participaste para o sextury21 GGG, deu-te gozo fazer sexo com mulheres?

Foi uma experiência nova, em que no início estava com medo que não fosse bem sucedida, transmitindo há câmara que não sou lésbica. Mas acabei por gostar.

Como é que são os teus espectáculos nos festivais eróticos?

Nunca vi um festival, e nem nunca participei. Gosto mais dos filmes. Talvez apareça no próximo.

Sei que trabalhas também para as webcams, quem te quiser ver onde é que o pode fazer e o que é que fazes para conquistares a atenção dos(as) visitantes?

Inscrevi-me por curiosidade porque muitas actrizes o fazem. Mas nunca o fiz é algo que não me atrai.

Agora bem lançada internacionalmente, com quem gostarias de representar e por quem gostarias de ser contratada?

Eu já tive o privilégio de trabalhar com o que gosto mais o Rocco Siffredi. Gostaria de trabalhar para estas produtoras: Brazzers, Private.

A sexualidade e a sua importância, interessa-te? É um tema que gostavas que fosse mais esclarecido, debatido?

Claro. É um tema que tem de ser mais debatido principalmente em Portugal, as pessoas têm uma mente muito fechada em relação ao sexo, evitam de falar disso ao filhos. Os portugueses são retrógrados em relação ao sexo. Não apimentam a relação com idas há Sexshop. E o sexo tem várias etapas preliminares, sexo oral…muitas vezes não fazem tudo isso.

Num dos filmes que observei, tive o cuidado de reparar que tu e o companheiro usaram o preservativo para o acto anal, para ti é essencial o uso do preservativo? E em qualquer altura?

Muitos fãs perguntam isso, mas nos filmes apesar de usarmos protecção temos todas as análises feitas tanto o actor como a actriz a diferença é que a maioria das produções francesas e brasileiras é obrigatório o uso do preservativo, para incentivar as pessoas a usá-lo. Todas as pessoas que não tem companheiros de longa data deve usar, para se proteger de todas as doenças sexualmente transmitidas.

Como é que vês a produção porno portuguesa e o que é que falta fazer e/ou melhorar?

A produção portuguesa não trabalha tanto como outras produtoras internacionais. Mas também é que não há muitas actrizes em Portugal, por isso não há novidades.

Que projectos tens para o futuro?

Já tenho propostas de trabalho em Los Angeles.

Tens algum conselho para quem queira começar?

Pensar bem no assunto, prós e contras. Novas actrizes podem sempre entrar actores há muitos e só os aceitam quando vêm com a namorada (actriz).

Obrigado pelo seu tempo, votos de bom trabalho.

Projecto Génesis Pelo Prazer
Entrevista: Pedro Marques
Correcção: Miss B

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s